DETALHES

Maranhense conta porque saiu do MasterChef

Aristeu foi o primeiro maranhense a entrar na cozinha mais famosa do país e conta sobre sua saída

Aristeu cozinhando na entrada do programa (Foto: Reprodução)

Quando o maranhense entrou na maior competição culinária do mundo, o MasterChef Brasil, foi aquele bafafá. Aristeu chegou e causou no programa diversas vezes. Gerou até polêmica quando falou de alta e baixa gastronomia. E por fim, se tornou um dos 11 melhores cozinheiros amadores do Brasil.

O primeiro maranhense a entrar na cozinha do MasterChef se chama Aristeu Guimarães e mora em Imperatriz. De fala fácil e sorriso no rosto. Uma pessoa simples, gosta de fazenda e ama jogar videogame. É geek, mas também um pouco sério enquanto advogado e trabalha como servidor público.  Além de cozinheiro particular da esposa e família.

Desde o começo da sua trajetória no programa ele quis mostrar o que foi fazer lá, ser um representante do nordeste. Infelizmente as provas não contribuíram muito para que ele pudesse mostrar o seu tipo de cozinha.

E justo na prova do peixe, a pressão do programa desestabilizou o cozinheiro que acabou se desesperando e tendo muitos problemas. Antes de deixar a cozinha do MasterChef, ele deu um abraço emocionado em Rita que desceu correndo do mesanino. “Amigos para toda vida”, foi o que ela disse para ele, ainda muito abalada com a saída do amigo. Paola Carossela disse “Você ainda vai brilhar muito no Maranhão”.

Esse foi o Aristeu do programa, um rapaz simples, engraçado, que criou muitos amigos. Fez até os jurados ficarem emocionados na saída.

“O que deu errado é que, mais ou menos nos últimos dez minutos, eu deixei tudo queimar. Quando queimei a farofa, eu fiquei desesperado. Esqueci o Tambaqui no forno e, então, ele secou. Quando percebi, a situação já estava caótica”, conta.

O imperatrizense estava há muito tempo fora de casa e não soube administrar bem a pressão da cozinha mais famosa do país. “Cozinhar na cozinha do Masterchef foi muito especial, mas eu não sei lidar com pressão, não gosto de pressão nessa vida tranquila que eu gosto de ter, minha comida tranquila”, conta.

Mas não é por conta de um peixe seco que o sonho acaba quando chega ao fim da edição do programa. Aristeu vai continuar cozinhando em casa mesmo com a família e no futuro, alçar vôos mais altos na gastronomia. “Vou continuar cozinhando sim, mas de forma amadora. Pretendo estudar gastronomia e abrir um restaurante, mas tudo no seu tempo”.

Leia as principais notícias do dia em O Imparcial

Carregando