Tá maduro?!

Guia para escolher frutas, legumes e verduras

Se você é do tipo de pessoa que chega na feira ou no supermercado e fica com dúvidas na hora de escolher as frutas, verduras e legumes, esta matéria é pra você!

Não restam dúvidas sobre a importância e necessidade do consumo diário de frutas, legumes e verduras. Ricos em vitaminas, minerais e fibras, esses alimentos devem estar presentes no cardápio de adultos e crianças, de preferência em seu estado natural, em vez de sucos, bolos etc.

Mas, se você é do tipo de pessoa que chega na feira ou no supermercado e fica com dúvidas na hora de escolher as frutas, verduras e legumes, esta matéria é pra você! Percorremos as principais feiras livres da capital e conversamos com feirantes experientes, que ajudara na elaboração deste guia feito pra você não errar mais e o melhor: voltar pra casa com alimentos selecionados e fresquinhos.

A lista não é pequena, então, quando for às compras, vale levar uma “colinha” num papel contendo os itens que você costuma comprar. Ah! Lembre-se de dar preferência aos produtos da estação, pois serão sempre mais frescos. Tome nota!

Como escolher bem frutas, legumes e verduras

Frutas

Foto: Clarissa Gomes

Em geral, o aspecto da casca dá pistas da sua qualidade. Devem estar firmes e com a casca uniforme, sem buracos, amassados ou machucados.

Abacate: é das frutas que só amadurece após colhida. Os melhores têm a casa fina e lisa, e não são muito moles, nem duros demais. Ele estará no ponto de consumo quando a tampa (a rodinha onde fica o cabo) estiver com a cor verde – se amarelo, indica que ainda não está maduro e se estiver marrom significa que já passou do ponto.

Abacaxi: para muitos, esta é a fruta mais difícil de escolher. O ponto certo é quando a casca está amarelinha, não muito dura, e com os gominhos mais achatados e afastados uns dos outros. Outra forma de testar é puxando uma das folhas da coroa, que solta mais facilmente quando a fruta está madura.

Ameixa: a casca deve estar bem lisa e uniforme, sem machucados ou rachaduras. Pressionando-a, delicadamente, você pode sentir se ela está firme, mas não dura.

Banana: escolha as menores, mais arredondadas e com menos manchas pretas. Se for para consumo imediato, prefira as mais amarelas. Leve as mais verdinhas, caso queira que elas estejam boas dentro de alguns dias.

Goiaba: prefira as de cascas uniforme, sem pontinhos pretos, que podem indicar a presença de bichos na polpa. As mais amareladas estão mais amadurecidas e molinhas.

Laranja e limão: quanto mais lisa e brilhante a casca, mais suco têm.

Melancia e melão: essas duas fazem dobradinha no quesito difícil de escolher. Para ambas, valem as mesmas regras: casca lisa, brilhante e sem manchas escuras; devem fazer um som “abafado” quando você der aqueles “cascudos” na fruta. No caso da melancia inteira, prefira a de manchas mais amarelas do que as brancas. As de formato mais arredondando costumam ser mais doces do que as compridas. Se a melancia já estiver cortada, escolha as mais vermelhinhas em vez das esbranquiçadas.

Maçã: as melhores não podem ter machucados, amassados ou furos e nem estar dura demais. Quanto mais vermelha, mais docinha.

Manga: segue a linha casca lisa e firme, sem amassados, nem muito mole, nem muito dura.

Mamão: evite os amassados. Se quiser comer logo, leve os mais amarelinhos; do contrário, escolha uns mais verdinhos e deixe fora da geladeira para amadurecer. Em casa, é importante fazer pequenos vincos bem superficiais na casca para deixar o “leite” escorrer.

Maracujá: é a “diferentona”, digamos, pois são melhores quando sua casca está mais enrugada. Os de casca lisa e brilhante em geral estão verdes. Vale também dar aquela sacudida. Se a polpa chacoalhar, não leve.

Morango: eles não costumam deixar muita dúvida. Os melhores são os mais vermelhinhos e uniformes. Mas não se engane com o tamanho! Os menores geralmente são mais saborosos.

Pêra: quanto mais verde a casca, mais verde a fruta. Prefira as mais amarelinhas e com a casca íntegra. Deve estar levemente macia (não mole!) quando você apertar.

Tangerina: verdes ou laranjas, as melhores têm o cheiro intenso e casca em bom aspecto.

Uva: neste caso, o cabo diz muito sobre a fruta; quanto mais verdinho, melhores estão as uvas. Como ela não amadurece fora do pé, escolha as mais vermelhinhas. Evite o cacho que tiver uvas machucadas e amassadas. No caso da uva verde, é melhor provar.

Frutos considerados popularmente como verduras: sim! Alguns alimentos considerados verduras, na realidade são frutas. É estranho, mas é verdade. Para a escolha deles, vale as mesmas dicas básicas das frutas; cascas finas, firmes e homogêneas, sem amassados, de cor uniforme. Fazem parte desse grupo: abobrinha, berinjela, chuchu, pepino, pimentão e tomate.

Legumes

Foto: Reprodução

Têm formatos e texturas muito diferentes entre si, por isso é difícil seguir uma regra universal. Quando tiverem casca, estas devem estar sempre firmes e sem machucados e não amassar quando levemente pressionadas.

Abóbora: se ela estiver inteira, verifique o aspecto da casca e se, ao bater com as juntas dos dedos, faz um som oco. Essa está ok. Se comprar cortada, prefira as bem laranjinhas.

Alho: o ideal é tirar as cascas da “cabeça” para ver como estão os “dentes”. Prefira os de casca mais roxinha e sem vestígios de machucados.

Batata e batata-doce: evite as que tiverem “olhos” (aqueles brotinhos pretos), machucados, e as que não estiverem com a cor uniforme, com manchas esverdeadas ou muito escuras.

Beterraba: considere o combo “casca uniforme/toque firme”.

Cebola: a melhor forma de escolher é dando leves pressionadas. As mais firmes, que não parecem estar moles, são as melhores. Verifique também se não está machucada.

Cenoura: deve estar durinha e com a casca uniforme.

Couve-flor: as florzinhas devem estar bem unidas e com cor branca ou creme. Evite as que tiverem machas pretas nas flores.

Gengibre: escolha os de casca lisa e clara.

Mandioca: escolha a de miolo branquinho e casca uniforme, sem pontinhos pretos nas bordas do miolo.

Milho: para cozinhar ou assar, prefira os de grão amarelo claro e que são macios ao toque. Para o preparo de receitas, prefira os de cor mais intensa.

Quiabo: os mais verdinhos e firmes são os melhores. A dica é quebrar a pontinha do legume. Se quebrar com facilidade, está no ponto.

Repolho: leve pra casa os que não tiverem manchas ou furos nas folhas.

Verduras

Foto: Reprodução

São mais fáceis de escolher, pois o aspecto das folhas fala por si. Escolha folhas verdinhas, sem manchas, sem furos, rasgos ou pontos pretos, enfim, o mais uniforme possível. No caso do brócolis, além das folhas que o acompanham, veja se sua estrutura está bem compacta, com os “galhinhos” bem unidos e sem manchas escurecidas tanto nas “florzinhas” quanto no talo, como no caso da couve-flor.

Carregando