DICAS

Saiba como cultivar sua própria horta

Cuidados específicos podem ajudar a manter o cultivo de várias mudas e ter uma horta variada em casa

Marcelo e Janaína Gatinho (Foto: Honório Moreira/ O Imparcial)

As experiências com plantas durante a infância e a vontade de um amigo em espalhar ipês por São Luís fizeram com que Marcelo e Janaína Gatinho dividissem as funções de técnico em microcomputadores e professora de yoga com o trabalho de hortelãos – homem e mulher que cultivam horta – e criassem há dois anos o projeto “O Dedo Verde”.

O casal, além de cultivar plantas em casa, também trabalha com encomendas de mudas específicas, comercialização daquelas que cultivam em casa, na criação de hortas orgânicas e também consultoria analisando o local em relação ao posicionamento do sol e estudo do solo, com o resgate de mudas que seriam descartadas. O trabalho, além das redes sociais, é divulgado principalmente em feiras e eventos.

“O Marcelo, durante a infância, trabalhava nos canteiros e jardins dos avós e tias como sua primeira fonte de renda, criando em seguida o seu próprio canteiro em casa. Mas veio a adolescência e terminou ficando esquecido. No entanto, houve um resgate desse gosto pelo verde, tendo como ponto de partida o convite de um amigo que possui um projeto de arborização das avenidas e canteiros de São Luís plantando ipês. Isso proporcionou um retorno às atividades adormecidas. Apenas com o passar tempo, o que era lazer foi ganhando força a cada exemplar novo, que se tornou uma coleção de ervas medicinais, de árvores frutíferas, hortas, orquídeas e resgaste de plantas que se tornaram bonsais e que virou ‘O Dedo Verde’”, explica Janaína.

Com a experiência no universo verde, Marcelo e Janaína dão dicas de como começar uma horta em casa ou apartamento, os cuidados necessários e apontam os erros mais comuns cometidos por quem quer iniciar um cultivo.

Como iniciar uma horta

(Foto: Honório Moreira/ O Imparcial)

Vasos devem estar sempre furados para não haver acúmulo de água, que pode levar ao apodrecimento das raízes.
Verificar se a terra está úmida. Se sim, espere ela secar para uma nova rega. A terra, inicialmente, deve ser compostada com farinha de osso, carvão vegetal e torta de mamona – é um adubo orgânico usado em jardins como fonte do nutriente. Caso tenham animais, substituir a torta de mamona por torta de algodão, pois provoca alergia neles.
Se for canteiro, ele deve ter no máximo 60cm, essa é a distância média do alcance dos braços, evitando-se entrar no canteiro, pois a pisada compacta a terra e atrapalha a oxigenação das raízes e penetração da água.

Erros comuns no cultivo

Pôr casca de ovo inteira como reposição do cálcio, ela tem que ser triturada ou pilada pra ficar como farinha de osso e misturada na terra pra acelerar a decomposição.
Pôr borra de café em cima da terra como reposição de fósforo e potássio. A borra cria um fungo que se aloja nas raízes, mas, para evitar isso, ela deve ser compostada junto com a terra.
Pôr carvão do fogareiro ou churrasco com sal e gordura como reposição do magnésio e manganês. Esse item deve ser usado sem uso anterior e triturado. Rega feita com o sol a pico cozinha as raízes capilares. O ideal é regar pela manhã, para a planta não passar o dia sedenta, ou no fim da tarde.

5 plantas para a sua horta

Orégano – Se adapta muito bem ao cultivo em vasos. O plantio pode ser feito por sementes ou por estaquias da própria planta. “Lembre-se sempre que o vaso deve ter uma boa profundidade para permitir o desenvolvimento da planta e furinhos no fundo que garantam uma boa drenagem. O espaçamento deve ser de 30cm entre uma plantinha e outra, e se adapta muito bem ao cultivo em vasos. O solo deve ser mantido levemente úmido, mas sem exageros, pois, tanto a falta, como o excesso de água, poderão prejudicar a sua plantinha. Basta regar para manter o solo úmido de leve (o que vai depender da temperatura) e sempre nos horários mais propícios: comecinho da manhã ou finalzinho da tarde. Em geral, o recomendável é regar o orégano de duas a três vezes por semana”, enfatiza a horteloa.

(Foto: Honório Moreira/ O Imparcial)

Alecrim – Se adapta a qualquer tipo de solo, mas prefere os secos, arenosos e bem drenados. As regas devem ser feitas frequentemente após o plantio, enquanto as plantas são jovens, para que o solo se mantenha úmido. “Depois de desenvolvidas, a irrigação deve ser controlada, de uma forma que a terra seque nos intervalos, pois o alecrim é bem resistente a períodos de seca. Quanto à localização, é muito importante lembrar que, para o cultivo ocorrer de forma correta, o local em que ele será plantado deve receber luz solar de uma forma que o atinja diretamente, por pelo menos cinco horas diárias. Vale lembrar que o alecrim é uma planta perene e, se cultivado corretamente, pode produzir bem por até dez anos”.

Hortelã –  Pode ser cultivada em lugares ensolarados ou em sombra parcial. É mais fácil manter o solo úmido quando cultivada em sombra parcial e ambiente fresco, principalmente quando sua região tem um clima mais quente. “O ideal é que o solo nunca seque durante o ciclo de crescimento das plantas. É necessário prestar atenção no plantio de hortelã, pois a maioria das espécies é invasiva, podendo se espalhar rapidamente. A plantação deve ser mantida sob controle, cortando as plantas para impedir que se espalhem para fora da área destinada ao seu plantio. Em hortas domésticas, é mais conveniente cultivar a hortelã em vasos, jardineiras e outros contêineres, para restringir mais facilmente o seu crescimento e impedir que se espalhe e invada o espaço destinado a outras plantas”, explica.

Tomate – Requer-se um solo solto e fértil, aconselha-se que este seja preparado com adubo ou estrume antes da plantação dos tomateiros.
“Recomenda-se a aplicação frequente de adubo ao longo do período de crescimento dos tomateiros. É necessário um espaço com muito sol, mas não com calor excessivo e que esteja abrigado da força do vento. Em termos de rega, os tomates requerem água em abundância, principalmente na zona das raízes, que deve estar sempre úmida. Quando o tomateiro já tiver quatro ramos com flores, deve-se cortar a parte superior do caule principal para impulsionar o amadurecimento dos tomates. À medida que a planta vai crescendo e dando tomates, é importante atar o tomateiro a uma estaca apropriada à sua altura, para que este não vergue com o peso dos tomates”, orienta Janaína.

Manjericão –  O local para plantio, seja ele vaso, sementeira ou solo, deve receber pelo menos quatro horas diárias de sol, pois o manjericão se dá muito bem com a luz natural. “O excesso de água pode encerrar a vida de nosso queridão manjericão. Sendo assim, devem ser efetuadas a cada dois ou três dias, ou então, quando a terra da parte superior estiver seca”.


Edições Impressas Confira nossas publicações Ver Mais
Mais Populares As mais visitadas do nosso site Ver Mais