SAÚDE

Chef dá dicas de como sobreviver ao carnaval de forma saudável

Carboidratos simples, água e suco de frutas estão entre as dicas da também nutricionista

No carnaval, bebe-se muito e se come pouco. Entra bloco, sai bloco e os foliões parecem se esquecer da equação básica para resistir à folia até a quarta-feira de cinzas. Quando se exagera nas doses de álcool, o corpo imediatamente reage.

“É um problema. O organismo não tem uma capacidade boa de glicose para segurar a onda. E a glicose vem principalmente do carboidrato simples. Antes de pular carnaval, coma um bom sanduíche de pão branco, tendo o cuidado de aliar com suco de fruta e de beber bastante água”, ensina a nutricionista e chef Tâmara Rolim, à frente do Nutrichef, onde há aulas de culinária com degustação.
Itens cítricos caem como luva. Ricos em eletrólitos, eles são mão na roda na reidratação. Boa saída é comer ceviche antes dos festejos. Também é de se salientar a importância de gestos simples, mas que nem todo mundo pratica quando está no meio da folia.

“A água precisa estar sempre ao lado. Estamos pulando, está calor e sol e, ainda, bebendo. Tudo junto vira um composto para a desidratação”, acrescenta a especialista.

Depois da catuaba, da caipirinha e de uma quantidade incontável de latinhas de cerveja, a vontade de comer o fast-food da esquina é comum. “Não é que a gente goste ou que seja da nossa preferência, mas nosso corpo é esperto. Passa-se a folia inteira sem comer direito. O organismo pensa: ‘essa pessoa precisa se alimentar’ e nos desperta a vontade de besteiras, porque elas têm glicose em uma quantidade enorme. É um pico, porém com uma quantidade de gordura imensa. O fígado já está tão debilitado pela carga de álcool que recebeu que é capaz de não se conseguir segurar, então coloca-se tudo para fora”, explica Tâmara.

Há um truque a que algumas pessoas estão aderindo: tomar whey protein com farinha à base de casca de maracujá antes da bebida alcoólica. Juntos, eles formariam uma camada protetora do sistema digestivo, dando saciedade e fazendo com que o álcool leve mais tempo para ser absorvido pela corrente sanguínea. Tâmara Rolim não recomenda.

“O melhor seria consumir alimentos com teor de carboidrato maior e fibras, que ajudam com que o organismo absorva gradativamente os alimentos que vêm depois e dão menos vontade de comer, pois lubrificam o estômago”, ensina.


Edições Impressas Confira nossas publicações Ver Mais
Mais Populares As mais visitadas do nosso site Ver Mais